O Eu Superior

21 de jan de 2011



O
homem sempre soube
bem no fundo que era mais do que carne e ossos; que era mais que um animal pensante; que era mais do que suas limitações. O Ego, todavia, sempre o impediu de chegar ao conhecimento de sua real natureza. Aqueles que conseguiram, sentiram a paz que tanto buscaram ainda no mundo material, descobrindo que esta vida é apenas um passeio.

Como definir quem somos? Como explicar por que sorrimos, por que choramos? Por que às vezes sorrimos diante do pânico? Por que choramos de alegria? De onde vem nossa criativdade, sensibilidade e intuição? É inteligente acreditar que este corpo frágil, limitado e com prazo de validade seja responsável pelo que somos? Que não somos mais nada além de máquinas biológicas pensantes? Seria a razão irracional?

Não, o homem pensa, portante é. O homem entende, portanto é. O homem ama, portanto é. O homem cria, portanto é. Se ele é, não pode deixar de ser. Não pode simplesmente fechar os olhos e nunca mais ser. Como o homem, que é criador de sua própria realidade, pode deixar de ser? Isso é completamente nonsense.

Mas quem é o homem? O corpo que anda ou a consciência que fá-lo andar? O corpo que fala ou a consciência que fá-lo falar? O corpo que age ou a consciência que fá-lo agir? Sem nossa consciência, o corpo segue sozinho? Sem alguém para animá-lo, ele pode fazê-lo sozinho? Nós dois sabemos a resposta.

Somos Mais Que Nós Mesmos

Não há vida sem consciência. Não há existência sem consciência. Isso é tão obviamente bobo que é difícil compreender como o homem duvida de quem realmente é. A carne foi criada para suportar a consciência, a alma, o espírito. É uma máquina. Um robô que sangra, que vaza, que precisa de reparos. Cujo HD nem sempre funciona como deveria, assim como seus softwares, que sempre precisam ser reprogramados.

Quem você é não é este que está refletido no espelho, é O que está além. Está além dos limites do físico, da mente e das palavras. Está além de qualquer coisa que este mundo denso consegue criar para si. Você é algo maior, mais belo, leve e conciso. Você é um espírito com um começo e sem um fim. Você na essência é imortal. Está neste mundo de forma passageira, como sempre estará. Você não é paulista, carioca, gaúcho ou mineiro. Também não é brasileiro, sulamericano ou terráqueo. Você é um cidadão do cosmos. Um cidadão divino.

Você tem dons e poderes que mal se pode imaginar neste mundo tridimensional. Você sabe e vê muito mais do que os olhos humanos conseguem vislumbrar. Você irradia mais energia do que uma usina nuclear. Você É.

O Eu Superior

O Eu Superior é o que você é, sempre foi e sempre será. Ele está sempre em conexão com o seu ego, sendo que este não consegue notar a presença daquele. E quando o faz, luta bravamente para não lhe dar ouvidos. Mas seu Eu Superior sempre estará lá, quer você saiba ou não, pois sem ele seu ego não existiria. O seu Eu Superior é o espírito. O espírito é você.

O espírito é independente da matéria, vive no etéreo, onde todas as leis da física não existem. Ele não usa palavras, pois não há necessidade. Comunica-se por vibrações e percepções. Ele não vê com os olhos, vê com o “corpo” inteiro, em 360º, tudo ao mesmo tempo. Ele não escuta com ouvidos, sente a vibração com toda sua essência. Ele não pensa com o cérebro, pois ele é a consciência, ele é quem faz o cérebro pensar. Ele não pensa, ele observa. Ele não acha, ele sabe.

A partir de sua criação, o espírito tem como único objetivo evoluir até a perfeição; até atingir o nível de perfeição da fonte primordial. Ele experimenta a si mesmo e a todas as probabilidades, situações e diversidades, sempre dando um passo adiante. O espírito inevitavelmente encontrará a ascensão, cedo ou tarde.

Por Que Estamos Aqui?

O Criador Absoluto, Aquele Que É, sempre soube quem era e qual sua essência e perfeição. Ele Sabe. Todavia, saber não é o mesmo que experimentar. Ele então, com um pensamento primordial decidiu experimentar-se e a todas as possibilidades. Dividiu-se sem se dividir, multiplicou-se sem se multiplicar, moveu-se sem se mover, pois ele É e sempre Foi Tudo O Que Existe. E todas as suas partes continuaram no lugar, continuaram sendo Ele Mesmo, todavia adquirindo suas próprias personalidades e consciências. Ele Criou.

Foi então que houve o primeiro começo de tudo. Antes, O Tudo O Que É sempre tinha sido tudo o que havia. Agora, Ele havia criado, dado um começo a tudo que então passou a ser. Após sua criação, Aquele Que É aparentemente não mais criou a partir da fonte primeva. Todas as suas partes tornaram-se criadoras, uma vez adquiridas as próprias personalidades. Então, Aquele Que É passou a criar através da criação de suas partes.

Suas criações, por serem primordiais, só não eram (e não são) mais perfeitas que o próprio Criador Absoluto, mas continham tudo o que Aquele Que É continha, todavia em menor escala. E partir do momento em que elas passaram a criar e a experimentarem a si mesmas, as partes da Fonte Primordial foram se espalhando e multiplicando por toda a existência. Eis quem somos: Partículas da Fonte Primordial .

Somos parte de Tudo O Que É, somos iguais à Fonte, porém em um nível ínfimo. Somos derivados do Criador, somos suas partículas menores experimentando e criando assim como todas as suas partes o fazem. E assim como tudo o que existe abaixo de Aquele Que É, estamos em busca da perfeição máxima. Estamos em busca da ascensão. Estamos na evolução eterna. Mas somos como o todo em uma escala menor. Se você já leu o post sobre o Universo Holográfico, entenderá com mais facilidade esta verdade.

Por que estamos aqui? Para buscarmos nossa evolução. Viemos para este mundo pesado para chegarmos ao nível mais alto possível em nossa corrida eterna. Quando este universo foi criado há bilhões de anos e as primeiras formas de vida surgiram, fomos voluntários para embarcar neste passeio intenso e pesado. Ninguém veio à força. À medida que evoluíamos, mudávamos de “casa” (planeta) e experenciávamos todas as probabilidades deste mundo físico. Tínhamos mentores em frequências e mundos mais elevados, que nos davam todos os elementos necessários para nossa evolução. Eram nossos “anjos da guarda”. Porém...

A Armadilha

A dualidade não é um atributo exclusivo desta terceira dimensão. Ela ocorre em outras frequências e percepções acima das nossas. E ela foi a responsável pelo descarrilhamento deste Universo. Em outras densidades, mas ainda neste Universo, entidades mais altas e evoluídas começaram a se corromper desenfreadamente por causa da dualidade, criando discórdia e um mal estar onde deveria haver apenas paz.

Rebeliões ocorreram, problemas gigantes de época em época por todo o nosso Universo. Um desses grandes problemas aconteceu em nossa casa, nossa galáxia há mais de 700.000 anos, provocando muita confusão e dor, que perdura até os tempos atuais. O ser humano (ao longo de muitas e muitas manipulações genéticas), por todo este período vem sendo um “bode expiatório”, sempre levando a pior nos finais de cada era. Civilizações majestosas e avançadas tecnológica e espiritualmente se ergueram e caíram diversas vezes, corrompidas pelo orgulho e pela influência negativa de outros seres.

Há mais de 10.000 anos, muitas entidades remanescentes de problemas antigos juntaram-se e declararam-se os reis, manda-chuvas, donos desta parte do universo e começaram um plano absolutamente cruel e perfeito para manter o controle de seus “inferiores”. Eles criaram a Matrix. Não me refiro à Maya, a ilusão do Universo Holográfico, refiro-me à ilusão terrestre.

Estas entidades são muito mais elevadas do que nós, não conhecendo as angústias do tempo, pois desde sempre transcendiam a linha temporal e física desta densidade. Eles não mostravam a cara para nós, agiam (e continuam agindo) por detrás das cortinas, manipulando manipuladores e manipulados. Muitos de suas marionetes fizeram trabalhos sujos, como os tão comentados Anunnaki, que cansaram de fazer experiências com nossos ancestrais, uma delas resultando no que somos hoje como raça humana. Estas entidades são o topo da pirâmide, aquele que não se pode ver, acima de tudo o que se conhece. Eles são o governo oculto.

Estão por detrás de tudo o que você já ouviu. São eles que controlam aqueles que controlam os Illuminati. São eles que ditam as regras. E uma dessas regras criadas, acabou por prender os espíritos que encarnam como seres humanos num ciclo contínuo de nascimentos e mortes. A Matrix não é apenas a 3ª dimensão, está também a algumas frequências da nossa até os limites desta parte da galáxia. E lá eles lhe impõem como dever e penitência, não lhe dando opções de escolha, a volta a este mundo para a redenção do espírito, distorcendo a lei natural da causa e efeito, tornando-a o que chamamos de Carma (falaremos mais sobre isso em breve). E o espírito, ainda viciado e dependente da matéria, pela total falta de conhecimento real sobre o que é o livre arbítrio, volta a este mundo para começar tudo de novo, vida após a vida.

A Liberdade

O Eu Superior deseja sempre ser livre, evoluir e buscar a perfeição. Mas não o pode fazer enquanto estiver preso à ilusão criada para este mundo. E a única maneira de libertar quem você é realmente, é elevar sua consciência a um ponto em que a conexão entre você e seu Eu Superior seja permanente. Só assim, no momento em que você desencarnar não será puxado pela Matrix de volta, pela falta de entendimento de sua real natureza.

Sabendo 24 horas por dia quem Você É, ninguém poderá enganá-lo com regras e penitências, nem obrigá-lo a fazer algo contra sua vontade, violando seu livre arbítrio. Busque a ascensão e nunca mais precisará reencarnar neste mundo por obrigação, apenas por livre escolha.

O caminho é longo para se libertar, mas vale a pena. E qual o meio mais eficaz para encontrar seu Eu Superior? Meditação.

Fique na Paz.

fonte : blog particulas da fonte









StumbleDiggTechnoratiRedditDelicious

0 comentários:

:)) ;)) ;;) :D ;) :p :(( :) :( :X =(( :-o :-/ :-* :| 8-} :)] ~x( :-t b-( :-L x( =))

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...